Velório da Yako

Quando eu morrer, eu não desejo lápide, quero ser enterrade sem túmulo para ser pisade por quem ainda vive.

Por aqueles ocupados demais para se pensar no que está abaixo. Quero ser morada para insetos e que possam fazer bom proveito das minhas sobras. Quero que montem uma fogueira sem a intenção de ser para mim ou que montem uma barraca.

Dessa maneira, quem sabe, eu possa sentir o calor que outrora tive ou dividir o sonho com quem dorme em mim.

Eu quero ser desenterrade por um cão que procura meus ossos ou de une historiadore curiose. Depois de morte, o que me resta é continuar servindo. Tornando-me terra e das sementes que os pássaros largam, eu possa enfim servir vida e dela ter outra forma de ser fruto.

 

Texto de Emanuel Tuê da Silva Silvano em homenagem a Yako, ainda sinto a sua falta e espero o dia do nosso reencontro chegar.

Enterrade: enterrado/enterrada.

Pisade: pisado/pisada.

Desenterrade: desenterrado/desenterrada.

Une: um/uma.

Historiadore: historiador/historiadora.

Curiose: curioso/curiosa.